Exposição Livro Verde, de Michel Zózimo, no Instituto Ling
Exposição Livro Verde, de Michel Zózimo, no Instituto Ling

Instituto Ling inaugurou no dia 2 de julho a mostra individual Livro Verde, do artista gaúcho Michel Zózimo. Com curadoria de Gabriela Motta, a exposição apresenta 17 obras inéditas produzidas neste ano: uma colagem manual com recortes retirados de antigas enciclopédias de ciências naturais e 15 desenhos feitos em lápis aquarela e nanquim sobre papel algodão que, além de serem exibidos nas paredes da galeria do centro cultural, também são reproduzidos em um livro de artista, que leva o mesmo nome da mostra, e que ganha um espaço especial, podendo ser folheado na exibição. A exibição poderá ser conferida com entrada franca até o dia 11 de outubro, de segunda a sábado (exceto feriados), das 10h30 às 20h.

A mostra levou quatro anos para ser finalizada. O espaço expositivo foi pensado para proporcionar uma experiência imersiva no universo de Zózimo, aproximando-se de um ambiente de leitura ou pesquisa, que busca reter a presença do visitante, convidando-o a dedicar um olhar demorado e detalhista ao conjunto. “Estou muito feliz com a chegada dessa hora. Passamos muito tempo entre conversas, ideias e planos. Agora, está tudo pronto e amarrado”, comemora Michel.

Nascido em Santa Maria, em 1977, e atualmente residindo na capital gaúcha, Michel sempre se interessou pelos livros e pelas possibilidades do meio impresso, utilizando páginas como suporte para seus desenhos e criações. Os livros antigos, em especial as enciclopédias, fazem parte de uma espécie de obsessão de Zózimo ao lado de outros interesses, como as ciências das coisas impossíveis.

Nos 15 desenhos exibidos no Instituto Ling, ele apresenta animais e plantas reais desconstruídos em diferentes arranjos e escalas. “O desenho abismal de Michel Zózimo engendra um espaço antes do tempo, onde um animal habita o outro, um olho de cavalo sai de uma folha, um sorriso surge no escuro da mata. Construídos mediante um processo de densidades de pontilhados, nuances cromáticas, padronagens diversas de acordo com a pele das coisas, esses trabalhos parecem vindos do avesso de um livro raro, onde o desenho não se separa da mão que o fez, e o olho que vê é o corpo inteiro”, analisa Gabriela.

Também impressiona a colagem com 80cm de altura e mais de 1 metro de extensão criada pelo artista para a exposição. A obra, que ganhou o título de Embrionários, foi construída a partir de recortes precisos de uma infinidade de seres vivos, como animais vertebrados e invertebrados, plantas, fungos, aves, peixes, répteis e insetos fosforescentes, retirados de aproximadamente 25 volumes da enciclopédia Conhecer. “O processo de colagem e justaposição dos indivíduos de papel organiza-se como uma trama indistinta e inviolável. Um caramujo desliza de trás de uma folha, um colibri farfalha as asas para voar, um guaxinim espia entre aves. Ao mesmo tempo que tudo vira uma coisa só, as finas antenas, a pena de uma asa, uma folha dentada, elas nos lembram da sua condição de papel”, acrescenta a curadora.

A mostra tem realização do Instituto Ling e do Ministério da Cultura, com patrocínio da Crown Embalagens.

Crédito da foto: VivaFoto

Mais sobre o artista
Michel Zózimo nasceu em Santa Maria (1977) e vive e trabalha em Porto Alegre. É doutor em Artes Visuais pelo IA da UFRGS e professor do Colégio de Aplicação da UFRGS. Tem dois livros publicados através de Prêmios de Incentivo à Produção Crítica da FUNARTE e, em 2011, recebeu o Prêmio Residência Artística do PECCSP no Hangar, em Barcelona. Entre suas principais mostras estão o Programa de Exposições do Centro Cultural de São Paulo (2010); Rumos Artes Visuais (Itaú Cultural, SP, 2011); Temporada de Projetos Paço das Artes (SP, 2012); 9ª Bienal do Mercosul (Memorial do Rio Grande do Sul, 2013); Festival Vídeo Brasil (SESC São Paulo, 2014); Soft Cover Revolution (Fundación Arte Vivo Otero Herrera, Madri, 2015); RS XXI (Santander Cultural, Porto Alegre, 2017); e 36º Panorama da Arte Brasileira (MAM-SP, 2019). Em 2021, realizou a individual O nome vem depois, com curadoria de Lilia Schwarcz, na Sé Galeria, e, em 2023, participou do Artist-in-residence Programm des Salzburger Kunstvereins, produzindo a publicação de artista BERG.

Sobre a curadora
Gabriela Kremer Motta nasceu em Pelotas (1975). É pesquisadora, crítica, curadora em artes visuais e professora adjunta no DAV-UFRGS. Desenvolveu sua pesquisa de pós-doutorado junto ao PPGAV – UFPEL, na qual propunha a criação de vinhetas radiofônicas sobre arte contemporânea aproximando as noções de performance e curadoria. Como curadora, realizou projetos em diversas instituições, tais como Fundação Iberê Camargo, MACRS, MAC Niterói, Itaú Cultural e SESC Santa Catarina, entre outras. Também teve artigos publicados em livros, catálogos e anais. Atualmente, desenvolve o projeto de pesquisa Documentação como preservação – a arte contemporânea no museu.

SERVIÇO
Exposição Livro Verde – Michel Zózimo
Artista: Michel Zózimo
Curadoria: Gabriela Motta
Período de visitação: de 2 de julho a 11 de outubro de 2024
De segunda a sábado (exceto feriados), das 10h30 às 20h
Instituto Ling (Rua João Caetano, 440 – Três Figueiras – Porto Alegre/RS)
Entrada franca

Além das visitas livres, é possível agendar uma visita guiada pela equipe educativa do centro cultural, sem custo, pelo site www.institutoling.org.br/visite

Início:

02 de julho de 2024

Término:

11 de outubro de 2024