Nova rota destaca atrativos histórico-culturais de Minas Gerais

Congonhas. Foto de Edu Viero.

Minas Gerais liderou o crescimento do turismo no Brasil nos últimos 12 meses, com alta de 12,6%, segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). O resultado está ligado a diferentes ações do estado mineiro, entre elas o fortalecimento de importantes regiões turísticas, como o Circuito do Ouro e a criação de novos itinerários temáticos, como a Rota das Artes.

A região marcada pela época do ciclo do ouro já explora e divulga seus atrativos histórico-culturais há pelo menos 24 anos, especialmente no roteiro “Entre Cenários da História”, que agrupa os municípios de Congonhas, Ouro Branco, Ouro Preto e Mariana. Agora estas cidades também estão inseridas na Rota das Artes, aumentando o potencial turístico de cada uma e conectando o Circuito do Ouro às experiências de outras importantes regiões, como Circuito da Liberdade e Destino Veredas.

“As experiências apresentadas na Rota das Artes já eram trabalhadas pelo Circuito dentro do roteiro Entre Cenários. Além disso, trabalhamos a rota histórico-cultural e a rota ecológica, incentivando um consumo diferente dentro deste recorte. Com a nova proposta do Estado, conseguiremos incentivar as experiências turísticas conectadas aos demais destinos”, afirma a diretora-executiva do Circuito do Ouro, Márcia Martins.

Ateliê Edney do Carmo, em Mariana. Foto de Edu Viero.

Sobre a Rota das Artes

Ao todo, são 8 municípios e 16 experiências sugeridas aos visitantes que decidem explorar a Rota das Artes, lançada em abril deste ano. O passeio começa no coração de Belo Horizonte no Circuito Liberdade, conhecendo o Palácio da Liberdade e o Museu de Minas e Metal, experiências gratuitas que já dão uma bela amostra da importância da arte para o Estado.

Seguindo em direção ao interior, o turista entra no Destino Veredas onde mais vivências artísticas o aguardam nas cidades de Brumadinho, São Joaquim de Bicas e Igarapé. Por lá está o maior museu a céu aberto da América Latina, o Instituto Inhotim; e experiências como brunch em meio a plantações de lavanda, arte em cerâmica e degustações com o melhor da cozinha mineira. 

O roteiro então segue para a etapa do Circuito do Ouro da Rota das Artes, que inicia em Congonhas. Na cidade está a obra prima de Aleijadinho, no Santuário do Bom Jesus do Matosinhos, e também o Museu de Congonhas. As outras experiências artísticas na região são na Cerâmica Saramenha (em Ouro Branco), Ateliê Edney do Carmo (em Mariana) e no Restaurante Sebastião (em Ouro Preto). 

Ao reunir estas três importantes regiões turísticas, todos se fortalecem. Tanto empresários destes destinos como os visitantes, que dispõem de mais informações sobre o que há de melhor em cada município. “No Circuito do Ouro, a Rota das Artes valoriza o trabalho dos artistas e incentiva o empreendedorismo”, completa Márcia Martins.  

Sobre o Circuito do Ouro

Ao todo são 17 municípios com grande proximidade geográfica, semelhanças históricas e culturais promovidos através das ações do Circuito do Ouro. A cidade mais distante de BH está apenas a cerca de 170km da capital mineira. A região é um prato cheio nos segmentos gastronômico, artístico, religioso, de aventura e de natureza e está dividido em quatro roteiros temáticos. 

A segmentação facilita a busca de informações e guia visitantes em atrações e experiências que atendem todas as idades, interesses e durante o ano inteiro. Além do já mencionado “Entre Cenários da História”, que agrupa os municípios que foram palco da história de Minas Gerais, o circuito conta com os roteiros “Entre Serras da Piedade ao Caraça”, “Entre Trilhas, Sabores e Aromas” e “Entre Ruralidades e Personalidades”.

Conheça melhor cada roteiro:

  • “Entre Serras da Piedade ao Caraça” (roteiro que conecta estes dois famosos Santuários de Minas)

Saindo de Belo Horizonte pela BR381, a primeira parada deste roteiro começa em Caeté, berço da Guerra dos Emboabas. Lá no alto da Serra da Piedade está o Santuário de Nossa Senhora da Piedade. Independente da crença ou religião, o turista desfruta de um visual belíssimo e garante o registro de paisagens únicas no local. Ao descer a serra a sugestão é visitar a Igreja Matriz de Nossa Senhora do Bom Sucesso e provar o famoso doce regional, o Queijão do Morro Vermelho. 

A cidade seguinte é Barão de Cocais, onde os visitantes podem conhecer registros pré-históricos de 6 mil anos a.C, experimentar as quitandas e a famosa goiabada cascão, considerada patrimônio imaterial da cidade. É também onde os adeptos de ecoturismo e de esportes outdoor encontram diversas atividades em meio à natureza.

Já em Santa Bárbara, a dica é contemplar as pinturas do Mestre Ataíde, o lindo trabalho das Tecelãs de Brumal, conhecer a produção de mel na região e saber mais sobre o padroeiro da cidade, Santo Antônio. 

A cidade de Catas Altas finaliza o roteiro Entre Serras, com charme, tranquilidade, vinho de jabuticaba aos pés da serra e, claro, o famoso Santuário do Caraça, localizado no alto da Serra de mesmo nome.

 

  • “Entre Cenários da História” (roteiro que agrupa os municípios que foram palco da história de Minas Gerais)

As cidades de Congonhas, Ouro Branco, Ouro Preto e Mariana abrigam um conjunto de patrimônios impressionantes, que inclui igrejas, casas e centros históricos. Essa herança proporciona uma arquitetura singular, assim como muita cultura, artes e ofícios tradicionais da região, como jóias, pinturas, música clássica e barroca.

O acervo histórico presente na região se une às belezas naturais: serras, cachoeiras, fauna e flora. Somado a isso, uma cultura com experiências e vivências tradicionais, como a construção de esculturas e objetos em pedra-sabão, inclusive, projetos de artistas contemporâneos. 

O roteiro Entre Cenários da História é uma viagem de volta ao passado. A proximidade entre as cidades permite deslocamento terrestre fácil e rápido. 

 

  • “Entre Trilhas, Sabores e Aromas” (roteiro que destaca a gastronomia, agrupando os melhores pratos típicos da região)

O roteiro abrange os municípios de Rio Acima, Itabirito, Nova Lima, Sabará, Raposos e Santa Luzia e oferece mais experiências únicas. Nesta rota os turistas conhecem a produção da Queca, um bolo de natal inglês com frutas que é patrimônio de Nova Lima. Outra delícia para ser degustada ao longo deste roteiro é o pastel de angu de Itabirito, harmonizado com molho de jabuticaba de Sabará.

Rio Acima e Raposos são destinos para os mais aventureiros, com trilhas e cachoeiras lindíssimas. E em Santa Luzia, além das suas características religiosas marcantes, como o Convento de Macaúbas – um refúgio de paz e devoção onde as freiras vivem em comunhão com a natureza – há também uma rica cena gastronômica a ser apreciada no Museu da Cozinha Mineira.

 

  • “Entre Ruralidades e Personalidades” (roteiro que mostra a cultura mineira, das vivências dos tropeiros a grandes personalidades da região)

Carlos Drummond de Andrade é uma das personalidades deste roteiro. O poeta é mineirinho de Itabira e, por isso, sua cidade natal está repleta de homenagens. Além do centro histórico, que reúne os casarões centenários, os paredões e as ruas com o calçamento da época, Itabira é a sede do Museu de Território Caminhos Drummondianos e do Memorial Carlos Drummond de Andrade.

Montanhas, matas, riachos, cachoeiras e outras belezas naturais podem ser encontradas nos distritos de Ipoema e Senhora do Carmo, para onde vão os amantes de esportes radicais e aqueles que querem conhecer mais sobre a história do tropeirismo em Minas.

Esta rota finaliza em Nova Era, fundada em 1703 como um arraial. Localizada na bacia do Rio Piracicaba, a cidade se encontra entre a Região do Ouro e do Vale do Aço. Dentre seus atrativos estão o Museu Municipal de Arte e História, a Igreja Matriz São José da Lagoa, a Gruta de São José da Lagoa, a Lagoa São José e Centro de Educação Ambiental da Lagoa São José.

 

Novo município passa a integrar o Circuito do Ouro

A região turística do Circuito do Ouro recebe mais um integrante: o município de São Gonçalo do Rio Abaixo. Localizado entre Itabira e Nova Era, recheado de belíssimas manifestações culturais, fazendas e grandes festivais, em breve suas experiências também serão beneficiadas com todo o trabalho executivo e promocional do circuito.

 

Sobre a Associação Circuito do Ouro

O Circuito do Ouro teve sua origem como um fórum de turismo no Santuário do Caraça na década de 90. No início dos anos 2000, adquiriu personalidade jurídica, tornando-se uma entidade privada, sem fins lucrativos, que tem a responsabilidade de organizar o turismo regionalmente, promovendo o diálogo e desenvolvendo projetos em colaboração com entidades públicas e privadas, além de apoiar e impulsionar o desenvolvimento econômico e social da região por meio da atividade turística.

Atualmente, a associação tem como presidente a diretora de turismo de Nova Era, Sandra Coelho, e como vice-presidente a turismóloga de Ouro Preto, Fabiana Nonato, ambas com mais de dez anos de experiência no mercado turístico e desempenham um papel fundamental na representação institucional do Circuito do Ouro. Já a liderança executiva está a cargo de Márcia Martins, que já atua na entidade há 10 anos, tendo iniciado sua carreira no turismo à frente do posto de atendimento gerido pela associação, posteriormente ocupando cargos na área de marketing e agora sendo responsável pela liderança dos projetos regionais.

Os municípios associados, além de participarem das políticas públicas de turismo orientadas pela Instância de Governança Regional – que é responsável por orientar as cidades seguindo as diretrizes da Secretaria de Turismo e Cultura de Minas Gerais e do Ministério do Turismo – também se beneficiam do plano de trabalho estratégico da entidade.

Um dos importantes parceiros da associação é o cartão ELO, que ajudou na sinalização dos roteiros trabalhados, distribuição de material para os empresários parceiros, participação em festivais de turismo, capacitação de profissionais das prefeituras, parceiros e do trade em geral, com foco no atendimento ao turista, estratégias de marketing para o destino e muito mais.

 

PARA MAIS INFORMAÇÕES:

Site – https://circuitodoouro.tur.br/ 

Redes sociais –  @circuitoouro e @associacaodocircuitodoouro.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

A Passageira

A Passageira

Andressa Griffante é Jornalista, especialista em Marketing de Conteúdo e Influência, e uma viajante apaixonada por arte, história e cultura. Acredita que os lugares e as pessoas tem muito para nos ensinar, e que nem sempre precisamos ir longe para aprender com o mundo.

Que valoriza a liberdade de viajar sozinha e o aprendizado de se perder de vez em quando. Gosta de planejar cada passo de uma viagem com antecedência, mas às vezes se joga numa trip de última hora. Quer aproveitar a vida ao máximo e compartilhar seus caminhos, afinal, estamos todos aqui de passagem…