Orishas pela primeira vez em Porto Alegre

Compartilhe esta página
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on whatsapp
Share on telegram

Porto Alegre recebe pela primeira vez a mistura caliente de hip hop e música cubana do Orishas. O show do trio, criado no fim dos anos 1990 na ilha então governada por Fidel Castro, ocorre em 22 de fevereiro, quinta-feira, no Opinião (Rua José do Patrocínio, 834). A venda de ingressos começa nesta sexta-feira (22/12).

No começo da carreira, o conjunto foi chamado de Amenaza (ameaça, em português) e, desde então, tem arrebato jovens que buscam por cultura afro-americana ligada ao rap. O trio mergulha em um reino de música negra para criar uma identidade que engaja admiradores no mundo todo, inclusive na Europa.

Em 1999, o então presidente da Ilha, Fidel Castro, lançou uma festa para o Orishas e teve uma reunião com todos os músicos da banda. Foi a primeira vez que o governo cubano mostrou apoio a artistas que conversavam com uma massa jovem e oprimida. Em razão disso, e da relevância para a cultura de seu país, o grupo se tornou muito popular na Europa (especialmente na França, Espanha e Portugal) e na América Latina.

Yotuel Romero e Ruzzo Medina, que se mudaram de Havana para Paris como parte de um programa de estudos internacionais, se juntaram a Roldán González e Flaco-Pro para formar a banda em 1998. Seu trabalho foi influenciado pelo movimento hip hop, bem como por artistas cubanos e de outros ritmos latinos.

O nome Orishas faz referência ao conjunto de entidades adoradas em religiões africanas nas Américas, como Santería em Cuba e Candomblé no Brasil, resultantes da movimentação de escravos iorubás. Esses orixás representam elementos naturais (como o oceano ou as folhas) e exibem uma característica humana (como a maternidade ou o amor). A ideia da alcunha é criar um link direto entre a banda e a diáspora africana. A ligação fica evidente nas letras do grupo, como em ‘Nací Orichas’ e ‘Canto Para Elewa Y Changó’.

Até o momento, eles produziram quatro álbuns de estúdio, sendo o mais recente Cosita Buena (2008), e venderam mais de um milhão de cópias dos seus trabalhos. Além disso, receberam dois Grammys. Um deles pela música ‘Pa’l Norte’ — parceria com o grupo porto-riquenho Calle 13 —, do álbum Residente o Visitante), que abocanhou a premiação na categoria Grammy Latino por Melhor Canção Urbana.

As letras de Orishas falam sobre experiências pessoais, uma reflexão sobre a sociedade cubana e as memórias de Havana. São os sentimentos de uma nova geração que aposta na energia festiva para seduzir o mundo inteiro, como um convite a se permanecer unindo raízes com uma sonoridade sobre identidade.

Em agosto de 2017 a banda lançou o single ‘Sastre de tu Amor’. Para divulgar o trabalho, o Orishas iniciou uma pequena turnê de reunião passando por diferentes cidades dos EUA, da América do Sul e da Europa. Durante a gira, foram filmados quatro vídeos que devem ser lançados em breve. A banda também pretende liberar três singles inéditos. A formação atual é: Yotuel Romero Manzanares, Roldán González Rivero e Hiram Riveri Medina.

RESUMO

O quê: ORISHAS

Onde: Opinião (José do Patrocínio, 834)

Quando: quinta, 22 de fevereiro – 21h

Quanto: de R$ 70 a R$ 180

Informações via assessoria de imprensa | Foto de Miguel Martinez