Vinho tannat uruguaio leva medalha de ouro na Hungria

Entre os melhores vinhos Tannat uruguaios está o  Reserva Familiar Tannat Roble 2014 da vinícola Leonardo Falcone. O rótulo deu ao Uruguai o prêmio de “País Medalha de Ouro Tannat”, na VinAgora, considerado pelo setor vitivinícola como uma das competições mais prestigiadas do mundo.

slider-falcone

Uruguai levou a medalha de ouro em premiação na Hungria. O VinAgora é um dos eventos mais reconhecidos do setor e premiou o vinho “Reserva Familiar Tannat 2014” da vinícola Leonardo Falcone.

A Enóloga Carolina Falcone confirmou a notícia para El telégrafo – meio de comunicação do país – afirmando que dentre todos os Tannats apresentados, o vinho “Roble” do estabelecimento foi o que recebeu maior pontuação. “O vinho tinha como base safra de 2014 e 2018, reunindo as melhores colheitas”, afirma enóloga.

A competição envolvendo 700 rótulos de 17 países, onde apenas 30% ganhou medalha e características do país, apenas 10% levou medalha característica prêmio país em todo o mundo.

Considerado distinto como um vinho varietal (100% Tannat), de cor intensa e profunda, as características diferenciadas se dão também pelo envelhecimento em Barril novo de carvalho francês. A vinícola Leonardo Falcone, localizada em Paysandu, região de relevo formada por ondulações, terminam no rio Uruguai fazendo fronteira com a Argentina. Já pelas Cordilheiras de Haedo está o nascimento do rio Queguay, que cruza a região de leste a oeste.

Essas características muito especiais estão refletidas nos vinhos da região, como a Bodega Falcone, existem outras que vem chamando a atenção dos profissionais e especialistas de plantão. Além da vitivinicultura, Paysandu abriga grande parte das atrações termais do país. No estado estão dois grandes complexos que movimentam o turismo na região: Guaviyu e Almirón únicos de água salgada com propriedades curativas.

A localização combina muito bem atividades produtivas, riquezas, culturais, históricas e naturais que diferenciam a região do restante do país. Ainda não muito conhecida pelos brasileiros, sua capital foi apelidada de “La Heroica”, fruto da gestão do General Leandro Gómez, ao final de 1864 e início de 65. Conta com grandes obras arquitetônicas e um rico patrimônio histórico, onde o General Artigas instalou a capital das Províncias Unidas do Rio da Prata, frente ao Rio Uruguay, há 200 anos.

O governo local tem a atividade turística como ponto estratégico de extrema importância para o desenvolvimento da localidade. Flutuação no rio Guegay, visitar a Meseta de Artigas, passear pela “Rambla Costanera”, assistir a um espetáculo no Teatro Florêncio Sanchez, vinícolas e termas são algumas das atrações indicadas para os brasileiros que pensam em ampliar seus horizontes e queiram ir mais além, dentro do Uruguai.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

A Passageira

A Passageira

Andressa Griffante é Jornalista, especialista em Marketing de Conteúdo e Influência, e uma viajante apaixonada por arte, história e cultura. Acredita que os lugares e as pessoas tem muito para nos ensinar, e que nem sempre precisamos ir longe para aprender com o mundo.

Que valoriza a liberdade de viajar sozinha e o aprendizado de se perder de vez em quando. Gosta de planejar cada passo de uma viagem com antecedência, mas às vezes se joga numa trip de última hora. Quer aproveitar a vida ao máximo e compartilhar seus caminhos, afinal, estamos todos aqui de passagem…