Vinho tannat uruguaio leva medalha de ouro na Hungria

Compartilhe esta página
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on whatsapp
Share on telegram

Entre os melhores vinhos Tannat uruguaios está o  Reserva Familiar Tannat Roble 2014 da vinícola Leonardo Falcone. O rótulo deu ao Uruguai o prêmio de “País Medalha de Ouro Tannat”, na VinAgora, considerado pelo setor vitivinícola como uma das competições mais prestigiadas do mundo.

slider-falcone

Uruguai levou a medalha de ouro em premiação na Hungria. O VinAgora é um dos eventos mais reconhecidos do setor e premiou o vinho “Reserva Familiar Tannat 2014” da vinícola Leonardo Falcone.

A Enóloga Carolina Falcone confirmou a notícia para El telégrafo – meio de comunicação do país – afirmando que dentre todos os Tannats apresentados, o vinho “Roble” do estabelecimento foi o que recebeu maior pontuação. “O vinho tinha como base safra de 2014 e 2018, reunindo as melhores colheitas”, afirma enóloga.

A competição envolvendo 700 rótulos de 17 países, onde apenas 30% ganhou medalha e características do país, apenas 10% levou medalha característica prêmio país em todo o mundo.

Considerado distinto como um vinho varietal (100% Tannat), de cor intensa e profunda, as características diferenciadas se dão também pelo envelhecimento em Barril novo de carvalho francês. A vinícola Leonardo Falcone, localizada em Paysandu, região de relevo formada por ondulações, terminam no rio Uruguai fazendo fronteira com a Argentina. Já pelas Cordilheiras de Haedo está o nascimento do rio Queguay, que cruza a região de leste a oeste.

Essas características muito especiais estão refletidas nos vinhos da região, como a Bodega Falcone, existem outras que vem chamando a atenção dos profissionais e especialistas de plantão. Além da vitivinicultura, Paysandu abriga grande parte das atrações termais do país. No estado estão dois grandes complexos que movimentam o turismo na região: Guaviyu e Almirón únicos de água salgada com propriedades curativas.

A localização combina muito bem atividades produtivas, riquezas, culturais, históricas e naturais que diferenciam a região do restante do país. Ainda não muito conhecida pelos brasileiros, sua capital foi apelidada de “La Heroica”, fruto da gestão do General Leandro Gómez, ao final de 1864 e início de 65. Conta com grandes obras arquitetônicas e um rico patrimônio histórico, onde o General Artigas instalou a capital das Províncias Unidas do Rio da Prata, frente ao Rio Uruguay, há 200 anos.

O governo local tem a atividade turística como ponto estratégico de extrema importância para o desenvolvimento da localidade. Flutuação no rio Guegay, visitar a Meseta de Artigas, passear pela “Rambla Costanera”, assistir a um espetáculo no Teatro Florêncio Sanchez, vinícolas e termas são algumas das atrações indicadas para os brasileiros que pensam em ampliar seus horizontes e queiram ir mais além, dentro do Uruguai.